Pode-se assistir às missas latinas diocesanas?

O motu proprio Summorum Pontificum do Papa Bento XVI mudou a situação jurídica da Missa Tridentina. Até recentemente, a Missa de São Pio V era considerada em geral como proibida, estando permitida somente por meio de um indulto, ou seja, de uma permissão especial, e mediante certas condições pré-estabelecidas.

As condições do indulto anexas à celebração da Missa Tradicional eram duas: o reconhecimento da ortodoxia e da licitude da Missa Nova e a aceitação das decisões e reformas do Concílio Vaticano II.

O Papa Bento XVI mudou a situação jurídica da Missa Tradicional afirmando que ela nunca havia sido ab-rogada. Graças a essa afirmação, a Missa Tridentina foi reestabelecida como uma lei universal da Igreja e não pode mais ser considerada proibida ou como uma exceção. Infelizmente, a expressão “forma extraordinária” usada no Motu proprio induz a erro.

No entanto, a situação real da Missa Tridentina, devido à atitude da maioria dos bispos, pouco mudou em relação à situação anterior. Da fato, os bispos continuam limitando a celebração da Missa Tradicional, agindo como se ainda fosse necessária a concessão de uma autorização, e, muitas vezes, impõem outras condições arbitrárias.

Em outras palavras, não há em geral nenhuma diferença em relação à situação anterior da missa de indulto, embora em certos lugares específicos seja dado agora um melhor tratamento à missa, aos padres e aos fiéis. Isto nos obriga a aconselhar a guardar a mesma prudência que antes em relação à assistência às missas de indulto.

Esperamos que esta situação mudará de forma gradual e que as razões que nos obrigam hoje a sermos muito restritivos desaparecerão pouco a pouco, em um processo de recuperação gradual da realidade do sacrifício, da realidade do sacerdócio e de todo o espírito cristão. Mas, por enquanto, isso é apenas um desejo, salvo algumas exceções.

Os perigos a que os fiéis podem facilmente expor-se por assistir imprudentemente à Missa Tradicional celebrada hoje sob tais circunstâncias são:

  • o ensino da Fé ainda pode ser defeituoso,
  • o padre pode estar mal preparado para a liturgia pré-conciliar,
  • há o risco de haver uma mistura entre os ritos novos e antigos,
  • existe o perigo de uma confusão que poderia ser muito enganadora.

Em caso de dúvida, os fiéis deveriam pedir conselho a seus sacerdotes.


Voltar à página de perguntas frequentes