Segunda dor de Maria

Março 30, 2020
Fonte: District of Spain and Portugal

A segunda dor de Maria, a fuga para o Egito

Para todos os dias :

1 - Oferecer de todo coração um sacrifício de renunciar voluntariamente a algo.
2 - Oração preparatória :

« STABAT MATER »

A piedosa Mãe ficou de pé junto à cruz e chorou enquanto o Filho pendia.

Cuja alma, triste e chorosa, perfurada e dolorosa, tinha uma faca feroz.

Oh, quão triste e aflita estava a Mãe abençoada, cheia de tantos tormentos!

Quando triste contemplava e dolorosa olhava com tristeza a tristeza do amado Filho. E qual homem não choraria se contemplasse a Mãe de Cristo com tanta dor? E quem não ficaria triste, Mãe piedosa, se vos visse sujeita a tanto rigor?

Pelos pecados do mundo, viu Jesus em tão profundo tormento a doce Mãe.

Viu morrer o Filho amado, que entregou seu espírito desamparado ao seu Pai.

Oh doce fonte de amor!, faz-me sentir a tua dor para que chore com contigo.

E que, por meu amado Cristo, meu coração ardente viva mais nele do que comigo. E, porque amá-lo me encoraja, no meu coração imprime as feridas que ele teve em si. E do teu Filho, Senhora, divide comigo agora as feridas que sofreu por mim.

Faz-me chorar contigo e pedir perdão por suas tristezas enquanto eu vivo.

Porque acompanhar desejo na cruz, onde o vejo, teu coração compassivo.

Virgem das virgens santas!, chore já com tanta ânsia, que o doce choro me seja. Para que sua paixão e morte tenha em minha alma, de sorte que sempre veja suas tristezas.

Faz-me apaixonar por sua cruz e viver nela e viva de minha fé e amor.

Porque me inflame e acenda, e contigo me defenda no dia do julgamento.

Faz que a morte de Cristo me proteja, quando a vida e a alma estiverem em aflição tão forte. Porque, quando fique o corpo calmo, vá minha alma para a glória eterna. Amém.

 (Tradução da versão de Félix Lope de Vega e Carpio)

SEGUNDO DIA

Primeira consideração : A segunda dor de Maria, a fuga para o Egito.

« Depois que os sábios partiram, um anjo do Senhor apareceu a José em um sonho, dizendo: “Levante-te, pega no Menino e sua Mãe e foge para o Egito, ficai lá até eu vos avisar; porque Herodes há de procurar a Criança para matá-lo”. José, levantando-se, levou o menino e sua mãe à noite; e retirou-se para o Egito. »

A Virgem sabendo que chegaria o dia onde alguns tentariam matar o seu Filho, o anúncio que São José lhe fez, de repente e à noite, teve que ter o efeito de uma segunda espada. Maria já tinha tudo oferecido e estava pronta para o sumo sacrifício, a qualquer hora do dia ou da noite. Mas quem tem um mínimo de sentimento pode imaginar e compartilhar a angústia mortal que subitamente invadiu o mais suave Coração de Maria. Se pudéssemos estar perto de nossa Mãe neste momento, teríamos ouvido a batida acelerada dentro de seu peito e seus lábios confiados a Deus repetindo a ele: que aqui ela tinha sua escrava, pronta para consentir no sacrifício que uma mãe não pode aceitar, exceto por razões instituições de caridade que superam o raciocínio humano.

Mas, apesar da aceitação, certamente nasceram pensamentos terríveis na mente da Mãe de Deus: «Meu filho tão pequeno, tão inocente, tão amado ... Oh meu Deus, se apenas este cálice se pudesse afastar de mim! Mas não, que se faça a tua vontade ». E assim doce, mas forte, Virgem Maria se levantou. Pegou seu Filho, umedecendo-o com suas próprias lágrimas, fazendo de seus braços o primeiro altar para a Vítima divina e seu Coração, a primeira turbulência da qual o incenso saiu mais puro, mais ardentes se tornaram os carvões de seu amor.

Segunda consideração : Repercussão no coração de São José.

Quando São José deu a mão à sua esposa para se levantar e fugir, sentiu o tremor que traduzia a dupla intensidade de sua caridade e o sacrifício solicitado. São José pôde contemplar no olhar da Virgem o belo e doloroso que é abandonar-se totalmente à vontade de Deus. São José contemplou e, portanto, uniu seus sofrimentos com toda a força e ternura de seu puro coração compassivo. Certamente São José ficou emocionado ao ver que Deus o havia colocado tão perto de uma maravilha tão grande e com a missão de proteger tão grandes tesouros.

No longo e doloroso caminho para o Egito, São José teve a oportunidade de consolar a Santíssima Virgem, mas também pôde admirar como a Mãe de Deus, depois de perceber que a hora do sumo sacrifício ainda não havia chegado, continuava com a mesma disposição: entregar-se completamente com seu Filho até a morte. Não seria São José a melhor testemunha para nos contar algo sobre as horas de conversa que teve com Maria e, mais ainda, as horas de silêncio que teve com ela?

Terceira consideração : Nossa compaixão.

Chegou a hora de considerar nossa própria fuga com José e Maria, porque não há dúvida de que a melhor maneira de compartilhar essa dor será acompanhar nossos santos exilados ao exílio. Ir sempre com eles para onde eles vão e deixar os lugares onde eles não vão ou não podem estar.

Esta consideração nos ajudará a entender o quão importante é fugir de ocasiões de pecado. Se não o fizermos, nos expomos a morrer sob os golpes dos novos heróis que são os demónios. Mas isso não é o mais sério. O mais grave seria perder a viagem com a Sagrada Família e perder para sempre puder viver com eles. Sem fugir do pecado e de suas ocasiões, impossível de amar, impossível de compartilhar, impossível de salvar-se ... «Levanta-te, minha alma... foge do mundo... para seguir o caminho da Cruz! »

ORAÇÃO FINAL

1 Pai-nosso, 7 Ave-marias e Gloria.
Rogai por nós Virgem dolorosa / Para que sejamos dignos de alcançar as promessas de Jesus Cristo.

Petição…

Oremos. Ó Deus, que desejaste que em tua paixão, de acordo com a profecia de Simeão, a doce alma da gloriosa Virgem e Mãe Maria fosse transpassada por uma espada, conceda-nos graça, que, celebrando com veneração sua transfixação e paixão, possamos, através da intercessão de os gloriosos méritos de todos os Santos que cercam fielmente a Cruz, obter o feliz efeito de tua paixão. Por Jesus Cristo, Nosso Senhor.

Amém

Doce Coração Imaculado e Doloroso de Maria / Sede a minha salvação.

São José, primeiro servo e consolador do Coração Imaculado e Doloroso de Maria / Rogai por nós.

São João, primeiro sacerdote e apóstolo do Imaculado e Doloroso Coração de Maria / Rogai por nós.