Que se deve pensar sobre os sedevacantistas?

Ante o escândalo provocado por papas que promulgaram Dignitatis Humanae, mudaram radicalmente a liturgia da Missa, codificaram uma nova eclesiologia e se tornaram protagonistas de um ecumenismo aberrante, algumas pessoas concluíram que os últimos papas não podem ter sido verdadeiros papas ou que perderam o pontificado por causa de tais escândalos. Citam em sua defesa as discussões dos grandes teólogos da Contrarreforma sobre a perda do pontificado (por abdicação, incapacidade, heresia, etc.).

Argumentam da seguinte forma: quem não é membro da Igreja não pode ser sua cabeça; mas um herege não é membro da Igreja; pois bem, João XXIII, Paulo VI, João Paulo I, João Paulo II, Bento XVI e Francisco são hereges; logo não são membros nem cabeças da Igreja e, portanto, todos os seus atos devem ser completamente ignorados.

Leia mais