Que se deve pensar sobre a Fraternidade São Pedro?

Depois da introdução dos novos ritos sacramentais, Roma não permitiu a nenhuma congregação o uso exclusivo dos antigos.

Nesse contexto, em 30 de junho de 1988, Dom Lefebvre sagrou quatro bispos para assegurar a sobrevivência do sacerdócio tradicional, dos sacramentos e, especialmente, da antiga Missa. De repente, em dois dias, João Paulo II reconheceu as "legítimas aspirações" a estas coisas (daqueles que não apoiassem a Fraternidade) e outorgou-lhes aquilo que sempre havia negado a Dom Lefebvre. Uma dúzia de padres da Fraternidade São Pio X aceitou esse sinal de “boa vontade” e abandonou a congregação para fundar a Fraternidade São Pedro.

Leia mais